Concorrência digital avança sobre as vendas de alimentos

Avaliação:

(1 Avaliação)

Alessandra Morita - Fernando Salles - redacao@savarejo.com.br -

Muitos brasileiros descobriram o e-commerce de alimentos durante a pandemia. Mas a movimentação atraiu novos players na disputa desse segmento

Cada vez mais novos players vão concorrer diretamente no comércio online desses produtos com o autosserviço. Alguns exemplos de fora são Magazine Luiza , Mercado Livre , entre outros.

Parte deles entrará no jogo por meio de marketplaces ou novos modelos de negócios. Além disso, redes que haviam saído da venda pela internet estão retornando, como o Dia e o Big (ex-Walmart), que firmou uma parceria com os portais/apps Supermercado Now e Cornershop . Quem entra nessas plataformas escolhe o varejo em que quer comprar e seleciona os produtos. A separação e a entrega ficam por conta das startups.

Enfrentar esses novos competidores exige mais do que oferecer um canal de compra online ao cliente. É preciso integrar a experiência dele com a loja física. “O futuro do varejo tem duas vertentes que se complementam: o e-commerce e a experiência em loja”, afirma Amanda Vasconcelos, diretora do Hiperideal , 17 lojas na Bahia. Para ela, o online será uma comodidade para comprar itens básicos, enquanto na loja o consumidor buscará uma experiência mais prazerosa. As vendas online, cuja participação era de 1% no Hiperideal antes da Covid-19, chegou a representar 9% das vendas da rede baiana durante a crise

Alexandre Poni, sócio-fundador do Verdemar (MG), concorda que a experiência sempre vai ser um diferencial no supermercado físico. “Precisamos receber bem o cliente e mimá-lo. Há uma população grande de idosos, por exemplo, e muitos acabam se sentindo solitários e querem se relacionar na loja, algo que não está sendo possível na pandemia, mas que voltará”, afirma.

 

“Precisamos oferecer lojas mais bonitas e agradáveis para o cliente e, principalmente, criar vínculos com o shopper em todos os canais”

AMANDA VASCONCELOS
Diretora do Hiperideal (BA), 17 lojas e Vice-presidente da Abase

 

“Temos que garantir ao consumidor o encanto de ir ao supermercado, o prazer em escolher produtos e em conhecer novidades na loja”

ALEXANDRE PONI
Sócio-fundador da Rede Verdemar, 15 lojas

 

Esta matéria integra reportagem especial de SA Varejo sobre transformações profundas, quebra de paradigmas e evoluções no varejo na pandemia que permanecerão gerando impactos. Clique nos links para conferir todos os textos: 

Loja física deve oferecer objetividade na jornada de compra 

Consumo sem sair de casa continua forte

Em algumas categorias, nível de consumo deve seguir acima do período pré-Covid

E-commerce é o principal legado da pandemia

Colaboração entre varejo e indústria ganha produtividade

JBP vive adaptação à nova realidade

Promoções devem ser mais simples e diretas

Varejo e indústria precisarão revisar sortimento

Ruptura: novidades na busca por índices menores

Expansão exige precisão cirúrgica

Fluxo de caixa: é hora de maior disciplina na gestão

Novo shopper exige transparência e confiança do seu supermercado

Relação com funcionários passa por mudanças rápidas

Aliar experiência a novos aprendizados é fundamental aos empresários do setor

 

Quer ter acesso a mais conteúdo exclusivo da SA Varejo? Então nos siga nas redes sociais:         LinkedIn      ,        Instagram       e        Facebook      !

Comentários

Comentar com:
Publicidade
Publicidade

Guia de Sortimento

Navegue por todas as seções para obter informações sobre o desenvolvimento de categorias e sobre as marcas e fornecedores mais bem avaliados:

BUSCAR
Publicidade