Varejo e indústria precisarão revisar sortimento

Avaliação:

(0 Avaliações)

Alessandra Morita e Fernando Salles - redacao@savarejo.com.br -

Iniciativa já começa a ser feita por fabricantes e supermercados

“A rigor, o cliente precisa do produto e não da loja”, define André Nassar, CEO do Giga Atacado . A frase resume a importância de contar com o sortimento certo para a necessidade do público, entre outros fatores que pesam nas escolhas do shopper. Com as mudanças de comportamento que vieram na esteira da crise, esse desafio se tornou ainda maior tanto para os varejistas quanto para a indústria.

Entre os fabricantes, uma das empresas que viram a necessidade de rever seu portfólio é a M. Dias Branco , que conta com 19 marcas. “Revisitamos nosso plano de inovação para o ano e vamos focar o que é tendência, mantendo um equilíbrio no portfólio”, explica Romulo Dantas, VP comercial da companhia. “A ideia é atender os consumidores que procuram marcas e produtos diferenciados e os que estão em busca de itens com melhor custo x benefício”, completa.

Já a Kimberly-Clark manterá o foco na estratégia de premiunização, cujos resultados têm sido positivos. Pelo lado do varejo, o pensamento é focar as particularidades do cliente de cada loja utilizando ferramentas, como o CRM. O público do Mercadinhos São Luiz , por exemplo, sempre foi prático. No entanto, durante a pandemia, produtos com menor apelo a esse atributo vêm crescendo, como o milho de pipoca tradicional. Com tempo e disposição, o cliente está disposto a levar opções para serem preparadas em casa nas quais enxerga valores como a saudabilidade.

“Quando fazemos um plano, como o de inovações, sabemos que vai ser preciso algum ajuste, com crise ou sem. Mas um evento como este é algo totalmente atípico”

ROMULO DANTAS
VP Comercial da M. Dias Branco

É preciso ficar de olho nos comportamentos que vão permanecer. Para se ter uma ideia, nossa loja voltada para itens naturais com a marca Super Saudável foi a que mais cresceu nesta crise”

ANDRÉ NASSAR
CEO do Giga Atacado (SP), 10 lojas

 

Esta matéria integra reportagem especial de SA Varejo sobre transformações profundas, quebra de paradigmas e evoluções no varejo na pandemia que permanecerão gerando impactos. Clique nos links para conferir todos os textos: 

Loja física deve oferecer objetividade na jornada de compra 

Consumo sem sair de casa continua forte

Em algumas categorias, nível de consumo deve seguir acima do período pré-Covid

E-commerce é o principal legado da pandemia

Concorrência digital avança sobre as vendas de alimentos

Colaboração entre varejo e indústria ganha produtividade

JBP vive adaptação à nova realidade

Promoções devem ser mais simples e diretas

Ruptura: novidades na busca por índices menores

Expansão exige precisão cirúrgica

Fluxo de caixa: é hora de maior disciplina na gestão

Novo shopper exige transparência e confiança do seu supermercado

Relação com funcionários passa por mudanças rápidas

Aliar experiência a novos aprendizados é fundamental aos empresários do setor

 

Quer ter acesso a mais conteúdo exclusivo da SA Varejo? Então nos siga nas redes sociais:     LinkedIn    ,    Instagram    e    Facebook    !

Comentários

Comentar com:
Publicidade
Publicidade

Guia de Sortimento

Navegue por todas as seções para obter informações sobre o desenvolvimento de categorias e sobre as marcas e fornecedores mais bem avaliados:

BUSCAR
Publicidade