Novo shopper exige transparência e confiança do seu supermercado

Avaliação:

(0 Avaliações)

Alessandra Morita e Fernando Salles - redacao@savarejo.com.br -

Sem esses atributos, varejo não conseguirá superar os desafios impostos a seu relacionamento com clientes e também com fornecedores, destaca Celso Renato Dias Ferreira, diretor-geral do Cencosud

Entre as mudanças que despontaram nos dois primeiros meses da pandemia, ficou claro que sem agir com base em transparência e confiança o varejo não conseguirá superar os desafios que vêm sendo impostos a seu relacionamento com clientes e fornecedores.

Essa necessidade tornou-se latente diante de uma das maiores dificuldades enfrentadas no período: a alta nos preços de produtos importantes na cesta de compras do shopper. Diretor-geral do Cencosud nas bandeiras G.Barbosa, Perini e Eletro Show Nordeste, Celso Renato Dias Ferreira lembra que o consumidor não aceitou essa situação, levando o varejo a uma rodada de conversas bastante abertas com os fornecedores.

É preciso ter transparência. É assim que atuamos com nossos clientes e com as indústrias, entendendo, por exemplo, quando um aumento atingiu toda uma categoria e também o impacto da alta dos custos na produção”, afirma o executivo da empresa, que conta com 202 unidades no País. Estudar como conter os repasses no preço final e comunicar ao cliente constituíram as etapas seguintes desse ciclo de transparência mútua que tende a permear os relacionamentos daqui para a frente. Construir uma relação de confiança também foi algo ressaltado por Julio Lohn, diretor comercial do Mundial Mix, de Santa Catarina, e presidente da Rede Brasil. “Em relação aos fornecedores, por exemplo, é preciso que se sintam à vontade para abrir números não apenas com as lideranças do varejo, mas também com os times comerciais e outras áreas envolvidas, a fim de buscar o que é melhor para todos”, comenta. “Nunca foi tão importante ter uma conversa franca”, acrescenta.

União de toda a cadeia

A crise é uma oportunidade para aprender e entender como varejo e indústria podem trabalhar juntos na missão de cuidar das pessoas e de abastecer. A união de toda a cadeia é vital, como acredita Andre Felicissimo, VP de vendas da P&G.

“O maior aprendizado até aqui tem sido o relacionamento em toda a cadeia até o cliente final. Aprendemos todos a fazer mais e a fazer diferente”

CELSO RENATO DIAS FERREIRA
Diretor-geral do Cencosud, 202 lojas

Esta matéria integra reportagem especial de SA Varejo sobre transformações profundas, quebra de paradigmas e evoluções no varejo na pandemia que permanecerão gerando impactos. Clique nos links para conferir todos os textos: 

Loja física deve oferecer objetividade na jornada de compra 

Consumo sem sair de casa continua forte

Em algumas categorias, nível de consumo deve seguir acima do período pré-Covid

E-commerce é o principal legado da pandemia

Concorrência digital avança sobre as vendas de alimentos

Colaboração entre varejo e indústria ganha produtividade

JBP vive adaptação à nova realidade

Promoções devem ser mais simples e diretas

Varejo e indústria precisarão revisar sortimento

Ruptura: novidades na busca por índices menores

Expansão exige precisão cirúrgica

Fluxo de caixa: é hora de maior disciplina na gestão

Relação com funcionários passa por mudanças rápidas

Aliar experiência a novos aprendizados é fundamental aos empresários do setor

Quer ter acesso a mais conteúdo exclusivo da SA Varejo? Então nos siga nas redes sociais:     LinkedIn    ,    Instagram    e    Facebook    !

Comentários

Comentar com:
Publicidade
Publicidade

Guia de Sortimento

Navegue por todas as seções para obter informações sobre o desenvolvimento de categorias e sobre as marcas e fornecedores mais bem avaliados:

BUSCAR
Publicidade