Navegue por todas as seções para obter dados sobre o desenvolvimento de categorias e sobre marcas e fornecedores mais bem avaliados

Imprimir

Categoria

Fonte: Diageo (11) 3897-2000

Árvore de Decisão

Veja, por ordem de raciocínio, o que consumidor mais valoriza.

  • 720 milhões Faixa de faturamento do autosserviço alimentar 2018
  • 15* Evolução % do volume de vendas (2017/2018)
  • ND Variação % média de preço da categoria 2017/2018
  • ND Variação % IPCA

7% Participação em volume dos destilados na seção de bebidas alcoólicas Fonte: IWSR/Diageo

12% Participação em valor dos destilados na seção de bebidas alcoólicas Fonte: Nielsen/Diageo

4,5% Evolução da categoria em valor 2018 Fonte: Nielsen/Diageo

260% Evolução da subcategoria gin em volume em 2018 (é o que mais cresce) Fonte: Nielsen/Diageo

1 unidade/ tíquete é a quantidade média de destilados adquirida

5 unidades/ tíquete é a quantidade média de bebida ice adquir ida


46% dos shoppers têm de 30 a 49 anos

Clique aqui e veja o planograma recomendado


• Seguir essa orientação garante que o cliente percorra a maior parte do corredor:
• LICOR/APERITIVO/VERMUTE/CONHAQUE: Módulo fora da visão no primeiro contato com a gôndola, na qual há categorias mais específicas e que são buscadas pelo shopper
• UÍSQUE: Tirar do início da gôndola, trazendo maior visibilidade para a categoria. O ganho para uísque vem muito pela melhor divisão da gôndola
• VODCA: É um dos grandes volumes da seção e é um dos segmentos que atraem shoppers para a gôndola
• BEBIDA ICE: Categoria de maior volume de destilados e com menor teor alcoólico. Atrai shoppers para o corredor
• GIN/ TEQUILA/SAQUÊ/RUM: Categorias menores que podem aumentar o volume beneficiando-se do fato de estarem perto de bebida ice
• CACHAÇA: Categoria específica com muitos SKUs. Dar destaque para saborizadas e artesanais
- Aumentar o fluxo no corredor: segundo a árvore de decisão, 66% dos clientes que interagem acabam comprando destilados. Para isso, a recomendação é posicionar a categoria próximo a corredores de maior movimentação, como o de cervejas. Nas lojas em que a Diageo implementou essa estratégia, a venda aumentou, em média, 30% - Ampliar pontos de contato na loja: utilize pontos extras, como cachaça próximo de carvão ou do açougue; vodca e gin próximo a frutas (como limão e laranja); e bebidas ice próximo ao corredor de cerveja. É importante que o shopper veja os produtos da categoria para se lembrar de comprar em outros momentos - Educar o cliente: em geral, o shopper conhece pouco da categoria e seus segmentos, além de a frequência de compra ser bem baixa. Uma forma de mudar esse cenário, est imulando o consumo, é divulgar drinks fáceis, à base de diferentes destilados por meio de encartes, tabloides, site próprio, blogs, redes sociais, além de materiais de PDV. As receitas devem ser bem fáceis com, no máximo, quatro passos. Para conhecer algumas, acesse o https://br.thebar.com/drinks#1 - Desconfinar produtos: a experiência de compra é prejudicada pelo confinamento dos destilados. O ideal é usar tags de segurança ou cartuchos para que todos os SKUs fiquem expostos na gôndola. A compra envolve os cinco sentidos, e tocar o produto faz parte do processo de escolha. Por essa razão, as chances de compra aumentam se eles estiverem ao alcance do shopper - Ficar atento ao preço: um dos grandes desafios da categoria é continuar crescendo, mas sem perder valor. Busque ferramentas para entregar a solução completa ao cliente. Uma alternativa é criar combos, nos quais estejam presentes os principais elementos para a ocasião de consumo (coquetelaria), além de ações de CRM e experiências e degustações. O ideal é fugir do excesso de promoção, pois se trata de uma categoria com baixa frequência de compra
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade