Vendas de higiene e beleza crescem, mas varejo alimentar não tem aproveitado

Avaliação:

(3 Avaliações)

Por Patrícia Büll - redacao@savarejo.com.br -

Conheça o desempenho das categorias e saiba o que fazer para vencer a concorrência de outros canais

As vendas de higiene e beleza vão bem, mas não no varejo alimentar. Dados Nielsen apontam queda em volume, valor e preço nas lojas do setor. Vários fabricantes, porém, tiveram um bom ano, o que reitera o avanço de outros canais.

 

Segundo Joana Fleury, Business Development da L’Oréal a grande tendência são os itens de cuidados faciais, porém hoje 80% desse mercado está nas mãos do canal farma. "O varejo alimentar precisa revisar todo o sortimento de Higiene e Beleza e das categorias adjacentes, para elevar a presença dos faciais”, recomenda. Já em cuidados com o cabelo, 80% do crescimento na L’Oréal veio de inovação. "E há ainda muito espaço no avanço dos produtos de tratamento capilar”, afirma.

 

Nem todos se queixam

16% alta em cuidados com o rosto

2 dígitos com água Micelar

Enquanto o desempenho decepciona o varejo alimentar, a J&J mantém o otimismo. Silvio Silva, diretor de Professional & Customer Development, afirma que no ano passado:

  • Cresceram as vendas de maquiagem, limpeza, hidratação e tratamento de pele
  • Aumentou o tíquete médio dos consumidores recorrentes
  • Avançou o consumo de higiene infantil em embalagens econômicas

Enquanto os salões de beleza continuam amargando queda no movimento, indústrias como a Condor comemoram. A empresa, fabricante de escova para cabelo, entre outros itens, diz que as vendas têm tido bom desempenho quando a relação custo-benefício fica clara, inclusive de acessórios para as crianças

Brecha aberta
Estudo da Nielsen mostra que os consumidores são extremamente multicanal quando se trata de Higiene e Beleza, o que assegura chances de recuperação para o varejo alimentar. Nos últimos seis meses...

40% compraram em perfumaria. Mas, desse percentual, compraram também em

13,9% compraram no atacarejo

A seção de Higiene e Beleza é uma das que geram maior margem para o varejo alimentar. Estudo realizado por SA Varejo mostra que a margem bruta média da seção gira em torno de 31,10%, contra 25,61% da média geral – ou seja, 5,49 pontos percentuais acima

29 bilhões de reais foi quanto movimentou o departamento de HiBe no varejo alimentar no ano passado. O dado é da pesquisa maiores varejistas, realizada por SA Varejo

Fique atento à experiência do cliente nas vendas online da sua empresa. Se antes o consumidor estava mais propenso a reclamar, hoje ele está disposto a compartilhar as experiências positivas

Vendas Online

Cosmético foi a categoria mais avaliada pelo brasileiro em e-commerce, no primeiro semestre deste ano, segundo o “Estudo de Satisfação do E-consumidor”, da Yourviews by Hi Platform . O levantamento considerou as opiniões de pessoas em cerca de 700 e-commerces e revelou que 92% das avaliações foram positivas. Cosmético liderou os comentários com 14% do total, acima de outras categorias, como moda. De olho no potencial do e-commerce, a J&J está trabalhando para ampliar a relevância da marca em marketplaces.Segundo Silvio Silva, diretor da companhia, dados Ebit/Nielsen apontam que perfumaria ficou com 18% do volume de compras online no fim de junho de 2019.

92% das avaliações foram positivas

14% do total de comentários foi para cosméticos

Uma boa oportunidade de vendas são as escovas para cabelo. segundo a condor, o ideal é expor perto de shampoos para incentivar a compra e elevar o tíquete médio

Fundamentos
Fátima Merlin, sócia-fundadora da Connect Shopper , propõe:

  • Clareza na proposta de valor, conhecer o shopper, definir a categoria, seu papel e suas estratégias, e desenhar as táticas da categoria (produto, preço, promoção, prateleira)
  • Boa parte da compra é adicional, por impulso. Logo, é preciso deixar os produtos bem visíveis, bem sinalizados e acessíveis

Sortimento
Antônio Sá, professor de Varejo da FAAP , destaca:

Excesso de marcas não é a solução. As marcas devem traduzir os desejos e rituais do brasileiro. Não se pode tratar as categorias de forma transacional – na base de desconto por volume

Absorventes, esqueça o passado

A Kimberly-Clark chama a atenção para a mudança de comportamento das mulheres. Existe uma tendência de supressão menstrual que pode impactar o tamanho do mercado. Para Fernanda Dayan, gerente de cuidados femininos da empresa, a saída é apostar em absorventes de alto valor agregado, como os noturnos ou internos, além de produtos de proteção diária, sabonetes e lenços de higiene íntima.

 

Quer ter acesso a mais conteúdo exclusivo da SA Varejo? Então nos siga nas redes sociais:        LinkedIn       ,       Instagram       e       Facebook       !

Comentários

Comentar com:
Publicidade
Publicidade

Guia de Sortimento

Navegue por todas as seções para obter informações sobre o desenvolvimento de categorias e sobre as marcas e fornecedores mais bem avaliados:

BUSCAR
Publicidade