Cibersegurança: saiba como varejo dos EUA tem evitado crimes virtuais

Avaliação:

(0 Avaliações)

Reportagem SA Varejo -

Cada vez mais esse assunto tem tudo a ver com o seu negócio

Se você implantou e-commerce e se a empresa se relaciona com consumidores pelas mídias sociais e plataformas digitais, passou da hora de você se preocupar com os ciberataques. Explica-se: mais informações sobre o consumidor estão sendo coletadas, armazenadas e utilizadas pelo varejo. Portanto, os riscos de ataques se intensificam, envolvendo diretamente o consumidor, além dos parceiros em campanhas promocionais, entre outras ações. Não é preciso nem dizer como a exposição de dados do cliente ou fornecedor é grave, nem como a confiança na segurança do sistema pode favorecer as negociações e o atendimento.

É bom lembrar que o roubo de dados e a invasão a sistemas têm gravidade em toda a empresa: do setor comercial e de marketing ao de logística, armazenagem, contábil e financeiro. Imagine uma pane no sistema de dados acessado pela equipe comercial? No mínimo, haverá uma queda na produtividade. Não é à toa que o FMI (Food Marketing Institute) revelou em pesquisa do ano passado que o varejo americano está mais preocupado com o tema e pensa em iniciativas para associar a segurança de dados à prevenção de perdas. A preocupação não se limita às grandes corporações, mas também a empresas de médio e pequeno porte. E na sua rede? Como vão as preocupações?

Relatório da IBM

Documento de fevereiro deste ano destacou como as técnicas dos cibercriminosos evoluíram. O estudo mostrou que essa evolução é resultado de décadas de acesso a dezenas de bilhões de registros corporativos e pessoais e centenas de milhares de falhas de softwares.

O que pe cibercrime

Qualquer atividade ou prática ilegal na rede: de disseminação de vírus a roubo de dados, acesso a informações confidenciais e invasão de sistemas.

Como se proteger

Veja o que o varejo americano planeja, conforme pesquisa divulgada pelo FMI (Food Marketing Institute), no ano passado:

  • Compreender as ferramentas tecnológicas usadas pelos criminosos
  • Atualizar a tecnologia de Prevenção de Perdas Criar oportunidades para o setor de prevenção ser mais atuante no combate ao cibercrime. Além de responder a incidentes, as redes esperam que o setor também analise as ameaças e tenha maior interface com a equipe de segurança cibernética
  • Conscientizar e treinar os funcionários da empresa cuja liderança ou execução sofram maiores riscos de ataques
  • Buscar talentos adicionais com habilidades mais sofisticadas para reforçar ou montar a equipe

CONSEQUÊNCIAS DA VIOLAÇÃO DE DADOS

79% das empresas no Reino Unido perderam clientes*

62% das violações incorreram em custos legais

* 2018 - dados da SecurityScorecard, divulgados no site The Grocer

Quer ter acesso a mais conteúdo exclusivo da SA Varejo? Então nos siga nas redes sociais:                             LinkedIn                            ,                            Instagram                            e                            Facebook                            !

Comentários

Comentar com:
Publicidade
Publicidade

Guia de Sortimento

Navegue por todas as seções para obter informações sobre o desenvolvimento de categorias e sobre as marcas e fornecedores mais bem avaliados:

BUSCAR
Publicidade