Queijos especiais: potencial para dobrar o mercado

Avaliação:

(5 Avaliações)

Sheila Hissa -

Penetração ainda é de apenas 10% dos lares, apesar do crescimento em vendas registrado nos últimos anos

 

Foto: Felipe Carneiro

Com ou sem pandemia, o consumo de queijos está cada dia mais forte. Isso se deve a mais momentos de indulgência e consumo nos lares, além de maior frequência de preparo de receitas. Soma-se a isso o fato de esses produtos serem vistos como aliados do bem-estar.

Segundo Eduardo Jakus, diretor da unidade de negócios de queijos da Vigor , os especiais têm grande potencial de crescimento. E por duas razões: a penetração é de apenas 10% nos lares, e a frequência média de compra fica em somente três vezes ao ano, enquanto a dos queijos básicos é acima de 12 vezes. “Se indústria e varejo trabalharem para dobrar a frequência de quem já consome, é possível dobrar o mercado. E o resultado será ainda melhor conforme conquistarmos novos lares”, afirma o executivo.

Destaques na linha da Vigor em volume
Parmesão, gorgonzola, provolone e brie (nessa ordem)

Foto: FREEPIK

O executivo lembra ainda que a indústria tem lançado produtos para estimular a experimentação e o consumo. No ano passado, lançou, por exemplo, o creme de queijo parmesão e as versões peso fixo de fracionados tipo Gouda, Gruyère e Emmental da marca Faixa Azul. Colocou no mercado versões peso fixo dos queijos Vigor fracionados (Brie, Camembert, Gouda, Gruyère e Emmental), além do cream cheese Danubio em copo de vidro, entre outras novidades.

A Vigor também acredita nas vantagens dos itens embalados pelo fornecedor. Para ela, essas versões ajudam o cliente a identificar melhor o preço na peça, têm validade superior e oferecem maior segurança alimentar aos consumidores

26% Aumento do tíquete médio da categoria no 2º trimestre de 2021, quando alcançou R$ 15,62
Fonte: Horus - comparação com 1º TRI de 2020

46% dos brasileiros aumentaram a frequência de consumo de queijos

84% das pessoas consomem esses alimentos regularmente no café da manhã

51% dos entrevistados afirmam que o produto é consumido como tira-gosto no fim da tarde

Fonte: Lexis Research/Tetra Pak – 4.500 pessoas de vários países

NÚMEROS DA VIGOR

70% Crescimento em valor registrado no ano passado na categoria de queijos

20% Alta nas vendas alcançada pela empresa em 2021

Fonte: Vigor

Tendência de crescimento

Os queijos especiais por si só agregam valor para a categoria. Uma frente para aumentar o tíquete médio, segundo Jakus, é oferecer mais versões para quem já consome o segmento. “Fazemos isso, por exemplo, com o kit Gorgonzola, Gouda e Brie, com desconto”, exemplifica.

Outra iniciativa, segundo o executivo, é promover a compra por impulso de um queijo especial para quem vai levar um queijo básico. Isso por meio de uma exposição mais próxima. “Sugerimos igualmente a aproximação de outras categorias que podem ter a mesma ocasião de consumo, como vinhos, azeites, cervejas e pães artesanais”, diz. O diretor também ressalta que as embalagens que garantem maior praticidade e conveniência ao consumidor oferecem melhores margens. É o caso do parmesão em lascas, dos ralados frescos e dos queijos fracionados.

Foto: Divulgação

O sortimento de queijos deve ser definido de acordo com o perfil do consumidor e a estratégia da varejista, porém o diretor da Vigor comenta que a marca Faixa Azul vem tendo maior retorno em lojas premium, enquanto os produtos Vigor estão bem posicionados em hiper e supermercados.

Leia também:

Versáteis e indulgentes, embutidos vivem boa fase e recebem investimento dos fabricantes

 

Veja mais sobre: Queijos, Queijos Especiais, Vigor

Comentários

Comentar com:
Publicidade
Publicidade

Solução Sortimento

Navegue por todas as seções para obter informações sobre o desenvolvimento de categorias e sobre as marcas e fornecedores mais bem avaliados:

BUSCAR
Publicidade