Monitoramento de dados da loja e do shopper pode aumentar vendas e margens. Conheça algumas ferramentas

Avaliação:

(0 Avaliações)

Natasha Bin - redacao@savarejo.com.br -

Recursos se adequam aos mais variados perfis de varejo, permitindo otimizar a estratégia do negócio para alcançar resultados cada vez melhores no mercado

 

Tíquete médio, mix de produtos, frequência de compra e até o tempo e o percurso do consumidor dentro da loja. Com uma variedade de ferramentas tecnológicas disponíveis para os varejistas, só não entende (e atende) bem quem não quer. Se mergulhar no mundo dos dados pode ser uma tarefa desafiadora, plataformas cada vez mais intuitivas e inteligentes oferecem informações e análises de consumo que vão além da superfície do mercado.

Elas entregam com profundidade os hábitos de consumo de quem visita a loja, um diferencial e tanto para quem quer fidelizar a clientela. A análise de dados é fundamental para ser bem-sucedido no cenário econômico atual, em que cada centavo e cada segundo contam. É também estratégica para o planejamento, podendo prever tendências e o direcionamento do negócio. Confira a seguir cinco empresas destacadas pela SA Varejo como opção para o varejista, dos mais variados perfis, que quer colocar a tecnologia para trabalhar a seu favor e alcançar resultados sempre melhores.

Izio vai além do CRM

Para quem acha que investir em CRM é suficiente, a Izio mostra que dá para ir além. Conectada ao sistema de frente de caixa e ERP, a plataforma Iz Loyalty captura os dados do cliente e, a partir das informações obtidas, segmenta a clientela, recomenda ofertas, cria comunicações e clusters, e faz ações personalizadas. A empresa é a percursora do sistema de cashback no Brasil e inclui em sua ferramenta soluções para ofertas segmentadas. A plataforma também já vem com ofertas financiadas diretamente pela indústria.

A empresa, que processa mais de 12 milhões de CPFs por mês, apresentou 150% de crescimento do faturamento. A Izio possui 80 varejos na carteira, entre eles as redes Serra Azul (RJ), Pague Menos (SP), Camilo (PR), Imperatriz (SC), Vanguarda (PI) e Carone (ES).

O engajamento dos clientes proporcionado pela tecnologia, de acordo com Christian Vicente, fundador e diretor da Izio, pode trazer cerca de 20% de aumento no faturamento anual do varejista. “Temos o Promobot, um módulo de inteligência que ajuda o varejo a recomendar a melhor oferta para a base de clientes, e o módulo de alavancas de vendas que o varejo pode usar para incentivar o engajamento com seus clientes, como preço 2, preço personalizado, cashback, número da sorte, selos e pontos”.

Payface garante um pagamento rápido

Possibilitar ao shopper ir para o supermercado sem carregar nada. Essa é a principal vantagem da Payface . O consumidor faz somente um cadastro via aplicativo e, no momento do checkout, se posiciona em frente a um dispositivo móvel, instalado junto ao caixa, que faz sua identificação pelo rosto, realizando o pagamento sem precisar de cartão físico, celular ou dinheiro.

Outra vantagem é a identificação 100% assertiva nos clubes de benefícios. “É muito comum nos supermercados hoje o consumidor digitar o CPF de outra pessoa, para, por exemplo, pontuar um membro da família. Isso acaba misturando informações de consumo no CRM”, ressalta Eládio Isoppo, CEO e cofundador da Payface. 

O reconhecimento facial torna nove vezes mais rápida a passagem pelo caixa. A rede carioca Zona Sul planeja implementar o uso da ferramenta em nove unidades ainda no primeiro semestre de 2022, cobrindo 145 PDVs e 200 mil clientes. Entre outros clientes do varejos atendidos pela Izio estão Super Muffato (PR) e Supermercados D’Ville (MG). 

A plataforma, que pode ser integrada ao app do varejista, evita filas e burocracia de cartão de crédito e ajuda no aumento de tráfego de consumidores.

Inwave monitora dados da visita do consumidor

A ferramenta iVA, Inteligência de Vídeo Análise, desenvolvida pela Inwave , é capaz de fornecer dados de contagem de fluxo, mapas de calor, tempo de permanência e outros dados referentes à visita do consumidor à loja. Dessa forma, o varejo físico pode trabalhar com as métricas de comportamento do consumidor utilizadas pelo varejo online. O monitoramento possobilita de 18% a 30% de incremento nas vendas em volume com os ajustes no mix e no posicionamento dos produtos, além de mais de 55% de alta nas margens, dependendo das categorias.

Rastreando toda a jornada de compra dentro da loja, a ferramenta ajuda a planejar o merchandising, layout, exposição e distribuição de espaço de forma mais eficaz, construindo uma base para melhoria das vendas por m². As métricas podem ser observadas em tempo real, permitindo que os varejistas tomem decisões mais rápidas e assertivas

A solução também pode ser usada para melhorar a eficiência do atendimento na loja ao monitorar os tempos nas filas de checkout, ajudando a planejar o número de funcionários em áreas de maior demanda em determinado período, o cronograma de reposição de produtos e até o de limpeza do estabelecimento.

“A ferramenta ajuda a planejar o espaço da loja, corrigindo possíveis erros ou oportunidades que não estão sendo aproveitadas. Além disso, existem aplicações mais práticas como a geração de um alerta para o responsável da loja caso um cliente permaneça mais de um determinado tempo em frente à gôndola, deslocando um funcionário ao local para assistência e esclarecimento de dúvidas, o que pode tanto aumentar a taxa de conversão, como inibir um potencial furto”, afirma Gustavo Carrer, gerente de desenvolvimento de negócios na Inwave.

A partir dos dados do iVA, um cliente identificou que seu fluxo maior vinha pela porta do estacionamento, localizada no fundo da loja, invertendo toda a lógica de exposição de produtos. Nesta mesma unidade, foi identificada uma prevalência de público jovem (29 a 49 anos) e masculino, bem diferente das demais lojas da rede. Com essas informações foi possível repensar todo o mix da loja e o reposicionamento das categorias.

Scanntech compara performance com a concorrência 

A plataforma da Scanntech compara a performance de uma rede de varejo com sua concorrência, auxiliando o varejista a criar estratégias mais assertivas para vender mais e com melhor margem. Benny Szylkowski, CEO da Scanntech, explica que a solução trabalha com base em quatro pilares do varejo: preço, sortimento, abastecimento e promoções.

Essas informações apontam se o estabelecimento cresceu acima ou abaixo do mercado e, por exemplo, a representatividade de cada categoria da rede, para o gestor entender qual item deve ser o foco que puxará o desenvolvimento e identificar o produto exato que o consumidor procura e a qual preço.

Com o uso da ferramenta da Scanntech, uma rede popular descobriu que não tinha uma marca importante dentro de desodorantes. Ao introduzi-la, conquistou crescimento na categoria.

Outro cliente tinha um problema de caixa e, consequentemente, atrasava pagamentos a fornecedores, o que gerava ruptura. Através de uma análise de gerenciamento de categoria, identificou-se itens de baixo giro, que foram promocionados para limpar o estoque, reduzindo o custo de armazenagem em 10%.

A Scanntech oferece suas soluções para 400 das top 500 redes varejistas do Brasil, entre elas Super Muffato (PR), Sonda (SP) e Pague Menos (SP). A empresa tem 27 mil PDVs conectados. Cerca de 480 bilhões de reais passam pela plataforma hoje, com nível de detalhe cupom a cupom. 

Horus pontua preços e cesta do shopper

Também oferecendo dados do mercado, a Horus traça um mapa do varejo no Brasil, pontuando preços e o que está na cesta do consumidor. Granularidade é a aposta nas duas soluções disponibilizadas pela empresa, a Horus Price e a Horus Shopper. A primeira permite aos clientes acompanhar de forma bastante detalhada o comportamento de preços de marcas, tamanhos de embalagem e SKUs em seus estabelecimentos versus os da concorrência, e assim entender se há necessidade e espaço para rever suas estratégias.

Já com o Horus Shopper é possível entender e acompanhar o quanto o consumidor gasta, quantos itens leva, o quanto paga nos diferentes produtos e, principalmente, quais categorias e marcas são mais incidentes e mais convivem em seu carrinho. “Reportamos dados de todo o Brasil, segmentando o canal alimentar de cada um dos estados para trazer o real entendimento do cenário no pequeno varejo, super e hipermercados e atacarejo”, destaca Luiza Zacharias, diretora de novos negócios da companhia.

A ferramenta voltada para monitoramento de preços permite aos varejistas acompanhar as movimentações de preço de produtos dentro de mais de 300 categorias e traçar comparativos com a concorrência, inclusive nos segmentos de FLV - Frutas, Legumes e Verduras, e produtos fracionados, como carnes, aves, frios e salgados.

O Horus Price coleta mais de 2 bilhões de preços por ano e 35 milhões de notas fiscais do canal alimentar. Atende mais 45 mil  PDVs, em 2.500 municípios. 

Fotos: Freepik

Matéria publicada originalmente na revista SA Varejo de abril/2022

Quer ter acesso a mais conteúdo exclusivo da SA Varejo? Então nos siga nas redes sociais:                                                           LinkedIn                                                          ,                                                          Instagram                                                          e                                                          Facebook

 

Comentários

Comentar com:
Publicidade
Publicidade

Solução Sortimento

Navegue por todas as seções para obter informações sobre o desenvolvimento de categorias e sobre as marcas e fornecedores mais bem avaliados:

BUSCAR
Publicidade