Walmart fecha site de e-commerce no país

Avaliação:

(1 Avaliação)

Por Redação SA Varejo -

Rede operava apenas com marketplace e promete trabalhar em um novo projeto digital

No fim da semana passada, o Walmart Brasil surpreendeu ao anunciar a decisão de desativar seu site de comércio eletrônico. Na verdade, desde 2017 a rede não efetuava vendas diretas pela internet no país, no entanto manteve até a última sexta-feira o funcionamento do marketplace, comercializando somente produtos de outros varejistas. 

Dois anos atrás, quando optou por encerrar vendas online de forma direta por aqui, os norte-americanos do Walmart já negociavam a venda da operação brasileira e não viam o e-commerce como um ativo de grande valor. O site chegou a faturar cerca de R$ 3 bilhões em 2016, de acordo com o jornal Valor Econômico, o que equivale a pouco mais de 10% das vendas totais da empresa no país naquele ano. Já no ano passado, com a operação resumida ao marketplace, as vendas online não teriam sequer chegado à soma de R$ 500 milhões. Os valores não foram confirmados pela empresa.  

Ao adquirir 80% do Walmart Brasil, o fundo Advent International escolheu Luiz Fazzio para assumir o cargo de CEO da varejista. Em 2012, o executivo presidia a operação nacional do Carrefour quando tomou decisão semelhante, desativando o comércio online da rede. Naquele momento, no entanto, o cenário do e-commerce no Brasil não tinha a mesma força de hoje.

Em 2016, o Carrefour retomou a venda de produtos online e hoje é um dos mais importantes players nesse segmento. Segundo analistas, a história pode se repetir com o Walmart no, futuro. Neste momento, a companhia encerra uma operação que não tem dado retorno, porém deixa de atender clientes interessados em comprar por canais digitais, um público cada vez mais amplo no Brasil.

Em comunicado direcionado aos clientes, o Walmart Brasil declarou: "sabemos da importância do mundo digital e trabalharemos em um novo projeto que vai oferecer a todos vocês uma melhor experiência online".

Quer ter acesso a mais conteúdo exclusivo da SA Varejo? Então nos siga nas redes sociais:   LinkedIn  Instagram  Facebook  !

Fonte: Valor Econômico

Comentários

Comentar com:
Publicidade

Guia de Sortimento

Navegue por todas as seções para obter informações sobre o desenvolvimento de categorias e sobre as marcas e fornecedores mais bem avaliados:

BUSCAR
Publicidade